sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Encontro com Rui Zink- 15/9/2012

15 de Setembro- Tertúlia com Rui Zink, moderada por Miguel Real, no Café Saudade, Sintra


 
No reinício de actividades após as férias, a Alagamares tem projectado um conjunto de tertúlias mensais, moderadas pelo escritor e crítico literário Miguel Real, no quadro das quais e sempre em locais diversificados serão convidadas figuras da cultura portuguesa, para falarem desta e da sua obra. O primeiro desses encontros teve lugar no dia 15 de Setembro, no Café Saudade, em Sintra, perto da estação da CP, e estando previstos para sessões futuras personalidades como Maria Teresa Horta, João de Melo ou Mário de Carvalho, entre muitos outros.

Rui Zink é professor auxiliar na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa desde 1997, onde se licenciou em Estudos Portugueses , em 1984, e obteve os graus de mestre em Cultura e Literatura Popular  e de doutor em Literatura Portuguesa. Foi igualmente Professor do Ensino Secundário, Leitor de Língua Portuguesa na Universidade de Michigan (1989-1990) e Professor Convidado na Universidade de Massachussetts Dartmouth (2009-2010).

Autor de vários livros, entre ensaios e ficção, salientam-se os romances Hotel Lusitano (1987), Apocalipse Nau (1996), O Suplente (1999) e Os Surfistas (2001), e os livros de contos A Realidade Agora a Cores (1988) e Homens-Aranhas (1994) e O Anibaleitor (2006). Colaborou em jornais e revistas, de que salienta o semanário O independente(1991) e a revista K (1992). Fez tradução literária, de autores como Matt Groening, Saul Bellow e Richard Zenith. 

Rui Zink recebeu o Prémio do PEN Clube Português pelo romance Dávida Divina (2005), e representou o país em eventos como a Bienal de S.Paulo, a Feira do Livro de Tóquio ou o Edimburgh Book Festival. Nesta sessão, onde se revelou bem disposto, falou da sua experiência como escritor e autor, do papel da literatura portuguesa, de Saramago e Lobo Anunes, de Vasco da Gama como psicanalista da História Portuguesa, e da sua paixão pelo sr.Oliveira da Figueira, o português das histórias de Tintin. Uma noite bem passada com um autor irreverente e mestre da ironia.
 

Sem comentários:

Publicar um comentário