sábado, 11 de junho de 2011

Editado o Te Deum de Francisco António de Almeida (1702-1755)


O Te Deum de Francisco António de Almeida (1702-1755?), importante obra do património musical português, foi objecto de uma edição crítica realizada por João Paulo Janeiro, director dos agrupamentos Capela Joanina e Flores de Música. O lançamento da partitura, editado pela Música Antiga Associação Cultural e pelo Centro de Estudos de Sociologia da Música e Estética Musical da Universidade Nova de Lisboa, terá lugar dia 12 de Junho pelas 18h no Museu da Electricidade, em Lisboa, sendo seguido de um concerto pela soprano Orlanda Velez Isidro e pelo grupo Flores da Música. A apresentação estará a cargo dos musicólogos Mário Vieira de Carvalho e Manuel Pedro Ferreira.
Francisco António de Almeida, devido às suas origens nobres, recebeu de D. João V uma Bolsa para estudar em Itália. Entre 1722 e 1726 estudou em Roma, onde publicou duas oratórias, Il pentimento di David e La Giuditta. A 9 de Julho de 1724 participou numa academia organizada por Pier Leone Ghezzi, que na ocasião lhe desenhou uma caricatura, descrevendo-o na legenda como um «jovem, mas excelente compositor de concertos e de música sacra, que canta com extremo gosto». Regressou a Portugal em 1726, onde se tornou organista da Capela Real e Patriarcal de Lisboa. Foi professor de piano da Infanta Maria Bárbara de Portugal. Em 1728, a primeira das suas serenatas, Il Trionfo della virtù, foi realizada em Lisboa no palácio do Cardeal João da Mota e Silva. A sua ópera cómica, La pazienza di Socrate, foi realizada no palácio real em 1733. Foi a primeira ópera italiana em Portugal. Para as celebrações carnavalescas, La Finta Pazza estreou no palácio real de Ribeira em 1735. Morreu provavelmente em Lisboa com o terramoto de 1755.

Sem comentários:

Publicar um comentário