quinta-feira, 12 de setembro de 2013

19 Setembro- Debate autárquico sobre política cultural

Aproximando-se as eleições autárquicas, e sendo o sector da Cultura estruturante em qualquer democracia avançada, vão o Chão de Oliva- Centro de Difusão Cultural e a Alagamares- Associação Cultural promover dia 19 de Setembro pelas 21h na Casa de Teatro de Sintra um debate com associações e agentes culturais para o qual se vão convidar as candidaturas à Câmara Municipal.       
Sabendo o quanto são o parente pobre do Orçamento e os agentes culturais muitas vezes meros adereços decorativos nas campanhas e na via pública, é objectivo desta iniciativa pôr a Cultura no centro do discurso político, realçando as suas patologias, potencialidades e virtualidades.

Baluartes de resistência e cidadania durante o período do Estado Novo, as associações irromperam no pós 25 de Abril como cogumelos, sendo hoje mais de 40.000, distribuídas nas vertentes cultural, desportiva, sócio-profissional ou de solidariedade. Mas se ser agente cultural é uma forma de dizer que se quer estar activo como cidadão-actor em prol duma participação efectiva e do legítimo exercício da democracia cultural -na vertente de cultura para todos, e com todos -tal não impede que a mudança de paradigma que as novas solicitações da sociedade global e da informação impõe permitam e exijam que se ultrapassem algumas patologias.

A eterna falta de verbas e da perspectiva de olhar para as associações sobretudo para a preservação da vertente patrimonial, das sedes e equipamentos, desenquadrada do fim último de congregar vontades, mobilizar opiniões, e gerar actos de cultura, desporto, etc; a prevalência do individualismo hedonístico, que desvaloriza o trabalho de equipa ou colectivo, em benefício das figuras, num estereótipo transmitido por um modelo de sociedade onde o Eu vence o Nós, mas de forma volátil, efémera e perversa; a falta de investimento na inovação, e na ruptura com certas práticas, reproduzindo uma "cultura de corpo" estática, distanciada das necessidades para que muitas vezes essas associações foram criadas, todos estes problemas carecem de respostas e para tanto se quer ouvir as propostas dos agentes políticos, bem sabendo os promotores que a Verba é inimiga do Verbo e os tempos de anomia e aperto.

Como escreveu André Malraux, a cultura só morre vítima da sua própria fraqueza. Há que lubrificar as mentalidades e tomar em mãos a força que, mais que qualquer arma, a Cultura e seus agentes devem ter na Sociedade, se se quer viva, e factor de mudança.

Como parceiros de desenvolvimento, vêm pois as associações promotoras do debate convidar os candidatos e seus representantes, as associações do concelho e os demais agentes culturais a estar presentes e apresentar propostas no dia e hora acima indicados para um encontro no qual desde já serão oradores Moisés Preto Paulo, do Centro Internacional de Escultura de Pêro Pinheiro; Miguel Anastácio, do Sintra Estúdio de Ópera; Pedro Alves, encenador e membro do teatromosca; Jorge Telles Menezes, escritor e poeta, e Fernando Morais Gomes, moderador e presidente da Alagamares-Associação Cultural.

Agradece-se confirmação das presenças para o nosso endereço de  correio electrónico, bem como do número de participantes, em caso de organização ou candidatura, sugerindo a organização que estes não sejam mais de 4 por cada uma, independentemente de a entrada ser livre.
Igualmente se agradece a quem queira ver certos temas abordados que, sem prejuízo de o fazer ao vivo na data do debate, o faça chegar por este meio.
Cordiais Cumprimentos
João de Mello Alvim, Chão de Oliva, Centro de Difusão
Cultural

Fernando Morais Gomes, Alagamares-Associação Cultural

Sem comentários:

Publicar um comentário